Categorias

Morre padre Haroldo Rahm aos 100 anos


O padre Haroldo Joseph Rahm, missionário americano referência no acolhimento de dependentes químicos, morreu, na tarde deste sábado (30), aos 100 anos. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do instituto criado por ele há 41 anos, que tem sede em Campinas (SP).

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), decretou luto oficial por conta da morte de padre Haroldo e ofereceu o Paço Municipal para a realização do velório. O Instituto Padre Haroldo ainda não confirmou a causa do óbito.

Publicidade

“Padre Haroldo foi um ser humano muito especial, que ajudou e iluminou a vida de várias pessoas”, disse o prefeito. Meus sentimentos à sua família, amigos e aos muitos admiradores. Padre Haroldo fará muita falta, mas deixa um enorme legado para ser seguido por todos nós”, diz o texto do prefeito.

História

Nascido em 22 de fevereiro de 1919 na cidade de Tyler, no estado do Texas (EUA), Haroldo era tenente do Exército quando descobriu sua vocação religiosa. Ele chegou a acreditar que sua missão seria lutar por uma sociedade melhor com armas, quando a guerra começou. Mas, havia um plano maior.

Na cidade de El Paso, no Texas, criou diversas frentes de trabalho e lá ficou por cerca de 12 anos, vindo de lá para o Brasil. Em 2015 foi homenageado por iniciativa das crianças que frequentavam seu projeto nos anos 1950 como “Homem do Ano” 50 anos após deixar El Paso.

Desde que se tornou jesuíta, ele dedicou sua vida a “combater o bom combate” semeando obras que integram a ação social à sua vocação religiosa e que buscam aliviar o sofrimento das pessoas que sofrem com a discriminação e que estão marginalizadas.

O Padre J. Rahm, que chegou ao Brasil em 1965 e naturalizou-se brasileiro em 1986, fundou diversas obras aliando-se a outros religiosos e leigos. Em 1978, fundou a entidade filantrópica “Associação Promocional Oração e Trabalho” (APOT) que em 2009 foi rebatizada com o nome de “Instituição Padre Haroldo Rahm” pela diretoria da instituição.

Padre Haroldo ministrou dezenas de cursos, recebeu diversos prêmios e possui mais de 50 livros publicados, é um iluminado, sempre criativo, obstinado, amoroso e sua vida está descrita no livro autobiográfico “Esse Terrível Jesuíta”.

Fonte: Beto Ribeiro Repórter


Comentários:


Outras notícias