Categorias

Cachorro espera dono na porta da delegacia enquanto ele presta depoimento como vítima de agressão em Araras


Uma cena que demonstra o carinho de um animal pelo dono, foi registrada na manhã desta terça-feira (18), na Central de Polícia Judiciária em Araras (SP). O “Amarelo” com é chamado, esteve acompanhando o morador em situação de rua, agredido juntamente com seu outro cão, e ficou esperando na porta da unidade durante seu depoimento aos investigadores do Setor de Inteligência que estão cuidando do caso.

Sobre o crime

Um morador em situação de rua de 39 anos, sofreu uma tentativa de homicídio na madrugada de domingo (16), na praça da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, região oeste da cidade de Araras (SP).

De acordo com o boletim de ocorrência, Rafael Ribeiro Priehl, estava deitado, tirando um cochilo em um banco da praça em frente à igreja, quando foi acordado com uma pancada na cabeça.  Ele tentou se levantar para ver o que estava acontecendo, e levou uma outra pancada mais forte ainda, e acabou perdendo a consciência.

Publicidade

Equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192), estiveram no local, e socorrem a vítima ao PRONTO SOCORRO do Hospital São Luiz, onde passou por procedimento de sutura e foi liberado.

Seu cão, conhecido por “Bolota”, também não escapou da agressão e levou uma facada na cabeça, e encontra-se internado em uma clínica veterinária, onde passou por todos os cuidados necessários e está em recuperação.

Nesta segunda-feira (17) Lúcio Bitencourt de Andrade (Casabela), diretor do Centro Pop, acompanhou o morador em situação de rua até à Central de Polícia Judiciária, para o registro do caso. A Polícia Civil já iniciou as investigações, para descobrir a motivação e autoria do crime.

“Para que todos entendam, ontem de manhã em abordagem encontrei o cachorro e de imediato levei ao veterinário e passa bem o ” morador de rua” encontrei hoje pela manhã, ele foi medicado e também já passa bem. Ainda não sabemos ainda os autores, os agredidos estavam dormindo, tenho medo que seja uma revolta da sociedade, infelizmente”, disse Lúcio.

Fonte: Beto Ribeiro Repórter


Comentários: