Categorias

Pronunciamento de Doria impede tentativa de Rio Claro de flexibilização


Município iria permitir a reabertura dos salões de beleza, mas restrição foi mantida pelo governo estadual.

A prefeitura de Rio Claro anunciou na terça-feira (12) que editaria portaria para permitir a reabertura de algumas atividades econômicas, entre elas os salões de beleza (cabeleireiro, barbeiro, esteticistas, manicures e pedicures). Porém, nesta quarta-feira (13) o governo do estado decidiu manter o fechamento deste tipo de serviço, como foi anunciado em coletiva de imprensa pelo governador João Doria. Rio Claro irá seguir a determinação estadual, assim como tem feito em outras ações de enfrentamento ao novo coronavírus (Covid-19).

“O município tentou, mas infelizmente não será possível reabrir os salões de beleza e outras atividades no momento. Peço a compreensão dos profissionais e clientes pela manutenção das restrições que têm como maior objetivo salvar vidas”, destaca o prefeito João Teixeira Junior, frisando que o município não tem condições legais de flexibilizar as medidas restritivas estabelecidas pelo governo estadual.

Publicidade

Na tarde desta quarta-feira (13), o Ministério Público Estadual questionou o município sobre a portaria que seria publicada para a flexibilização de atividades econômicas.

Ao desistir da publicação, o município de Rio Claro mantém as mesmas normas do início da quarentena. Também seriam listadas na portaria e continuam proibidos de funcionamento: igrejas, floriculturas, lojas tipo “1,99”, lojas de conveniência de postos de combustíveis, lava rápidos, lojas de roupas, entre outros serviços. Academias, clubes, boates, casas noturnas, cinemas e cursos profissionalizantes também não podem funcionar.

“As regras de funcionamento devem ser observadas para diminuir os riscos de propagação do vírus”, observa Maurício Monteiro, secretário municipal de Saúde, acrescentando que o município permanece atento às condições sanitárias para o melhor momento de flexibilização, sempre considerando também as possibilidades legais. 


Comentários: