Banco de Alimentos faz parceria com agricultor familiar

Agricultores e comerciantes podem se tornar parceiros fazendo doações de alimentos.

O Banco Municipal de Alimentos de Rio Claro continua trabalhando para ampliar o atendimento às famílias em situação de vulnerabilidade social no município. E muitas vezes a ajuda vem de longe. A entidade firmou parceria com o agricultor familiar Carlos Alberto de Oliveira Filho, da Fazenda Santa Vitória de Vargem Grande do Sul, que faz doações semanais de cerca uma tonelada de batata ao programa. As batatas são incluídas nas cestas de alimentos doadas às famílias carentes.

Simone de Oliveira, filha de Carlos, conta que o pai se sensibilizou com o trabalho realizado pelo Banco de Alimentos e resolveu contribuir. “É uma pequena doação, mas se cada um fizer um pouquinho pode ajudar muitas pessoas que passam por dificuldades”, destaca Simone.

A solidariedade é um hábito cultivado na família Oliveira que vai sendo passado de geração a geração. A família fundou a Associação Setembro que auxilia diversas entidades de Vargem Grande do Sul. “O trabalho social é muito forte na família, uma cultura que é sempre passada para a próxima geração”, conta Simone, ressaltando que o auxílio sempre é estendido a entidades sérias que focam na assistência e não no assistencialismo.

As batatas doadas ao Banco de Alimentos estão alimentando muitas famílias de Rio Claro. “Ficamos muito contentes com essa parceria, com esse gesto solidário do Carlos, que vai beneficiar muitas famílias”, afirma a secretária do Desenvolvimento Social, Érica Belomi, destacando a importância das doações para aqueles que precisam. “Muitos alimentos são descartados por supermercados e varejões quando poderiam ser reutilizados e alimentar muitas famílias que enfrentam dificuldades”, ressalta Érica.

O Banco de Alimentos é um programa desenvolvido pela prefeitura, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Social, em parceria com a Udam (União de Amigos). O objetivo é combater o desperdício de alimentos através da arrecadação de produtos hortifruti considerados impróprios para venda, mas adequados para o consumo humano. “A equipe faz a seleção, manipulação, higienização, embalagem e etiquetagem dos alimentos, distribuindo-os a organizações da sociedade civil cadastradas que atendem população em vulnerabilidade social”, explica Larissa Baungartner Zeminian, gerente de Segurança Alimentar e Nutricional da prefeitura.

Além dos processos operacionais de manipulação dos alimentos, o Banco de Alimentos desenvolve ações nutricionais e sociais junto aos beneficiários, contribuindo para autonomia das pessoas em relação às escolhas alimentares, promoção da alimentação adequada e saudável e articulação da rede socioassistencial para o acompanhamento dos beneficiários em vulnerabilidade social.

Atualmente o Banco de Alimentos possui 37 doadores fixos e segue na busca por novos parceiros. Os interessados podem entrar em contato com a gerência de Segurança Alimentar e Nutricional da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Social, através do telefone 3522-1930 ou com o Banco de Alimentos, através do telefone 3532-4408.