Por causa da cor, mãe e filha são impedidas de entrar em ônibus por motorista, em Cordeirópolis

De acordo com a mãe houve crime de racismo, por ela ser negra e a filha branca

O episódio ocorreu nesta segunda-feira (13), por volta das 12 horas, na rodoviária de Cordeirópolis (SP).

A mãe Claudiane de Oliveira, de 31 anos, estava junto com sua filha, de 9 anos, aguardando o ônibus da linha suburbana, rumo à cidade de Limeira (SP), pois tinha uma consulta marcada há dois meses com o oftalmologista.

Ao tentar embarcar no ônibus, o motorista da empresa intermunicipal, barrou as duas, alegando que seria impossível ambas serem mãe e filha, já que a mãe é negra e a menina branca.

De acordo com informações lavradas no Boletim de Ocorrência, ela descreveu que o motorista disse: “Não tem como ser sua filha, você é preta e ela é branca”.

Claudiane afirma que apresentou o documento de registro escolar, mas ele ignorou e não deixou embarcar.

“Passei uma humilhação enorme, jamais esperaria uma atitude dessas, no entanto, que fui até a delegacia e registrei um boletim de ocorrência e entrarei na justiça, pois não é justo, fui muito humilhada, várias pessoas olhando e ele ignorou e foi grosso”, explicou a mãe.

Nas informações do B.O. descrevem que Claudiane não estava com a certidão de nascimento e sim com o registro escolar.

A redação do Portal JE10, que é um dos parceiros do Grupo Rio Claro – SP, entrou em contato com a empresa e recebeu a seguinte nota:

“ A concessionária, tão logo tomou conhecimento do assunto, abriu sindicância interna para apurar a veracidade da informação. Em depoimento tomado junto ao motorista, o profissional nega de forma veemente o fato. Mas, como a transportadora não compactua com esse tipo de atitude, tomará todas as medidas cabíveis, sejam administrativas e judiciais, para buscar a verdade sobre o fato relatado”, explicou a empresa.

Fonte: Portal JE10