Categorias

“Não há motivo para pânico”, destaca médica infectologista em relação a surto de gripe

Pessoas só devem buscar unidades de urgência em casos de febre persistente, falta de ar ou piora importante no estado geral

As unidades de urgência e emergência de Rio Claro registraram na última semana aumento de cerca de 40% no atendimento a pessoas com sintomas gripais. A grande maioria com quadro leve. A Fundação Municipal de Saúde orienta que as pessoas procurem o serviço de saúde apenas em casos de febre persistente, falta de ar ou piora importante no estado geral.

“Isso é importante para que o sistema de saúde não fique sobrecarregado e possamos atender quem de fato precisa”, alerta Suzi Berbert, diretora de Vigilância em Saúde, observando que além de Covid, o sudoeste do país vive um surto de síndrome gripal causado pelo vírus influenza que chegou ao interior do estado de São Paulo.

Publicidade

A Fundação Municipal de Saúde está monitorando a situação, inclusive porque era esperado aumento de doenças respiratórias e Covid em decorrência de aglomerações e festas de final de ano. Os sintomas de síndrome gripal e Covid são muito parecidos, sendo difícil distingui-los completamente. Quem não apresenta sintomas deve manter os cuidados preventivos, que incluem a vacinação completa contra a Covid (duas doses mais o reforço), uso de máscara, higienização adequada das mãos e evitar aglomerações.

“Em caso de sintomas, as pessoas que tomaram as duas doses e o reforço contra a Covid possivelmente não irão desenvolver sintomas de maior gravidade da doença e, no caso de gripe, o corpo há de combater o vírus, sendo que há tratamento reservado para pessoas com comorbidade ou idosos”, acrescenta Suzi, reforçando que não há motivo para pânico.


Comentários: