Categorias

Festival Negro Zumbi é realizado em Rio Claro depois de 35 anos


Feconezu reuniu 250 pessoas na sexta, sábado e domingo.

Rio Claro recebeu na sexta-feira, sábado e domingo (1º) a 41ª edição do Festival Comunitário Negro Zumbi (Feconezu), evento itinerante realizado anualmente no interior do estado de São Paulo. Com a participação de cerca de 250 pessoas, a edição marcou a volta do evento a Rio Claro, depois de 35 anos.

Publicidade

“A valorização do negro é um assunto que precisa ser abordado, discutido, com foco na realização de ações para conscientizar a comunidade sobre o importante papel que o negro desempenha na sociedade”, observa o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, que participou na sexta-feira (29) da abertura do evento que, a partir de iniciativa do vereador Geraldo Voluntário, homenageou os realizadores da edição de 1984, até então, a última que havia sido sediada em Rio Claro.

No Feconezu as temáticas culturais, políticas e sociais norteiam os debates. “Eventos como esse são fundamentais para levantar as discussões necessárias para que seja combatido o racismo e toda forma de preconceito”, acrescenta Juninho.

A programação teve como destaque o roteiro afro, em que os participantes do festival puderam conhecer mais a história da comunidade negra de Rio Claro. Foram visitados Jardim Público, igrejas Aparecida e Boa Morte e Lago Azul, entre outros pontos. “Esse foi um diferencial da programação realizada em Rio Claro em relação a outros municípios e contribuiu muito para que o evento fosse ainda mais enriquecedor”, observa Josiane Martins, assessora dos direitos raciais, da Secretaria da Cultura de Rio Claro. “São pontos que carregam a história de existência e resistência da comunidade negra”, acrescenta Josiane. A programação incluiu ainda oficinas culturais e educacionais, grupos de discussão e o tradicional baile dançante.

Com o apoio da prefeitura de Rio Claro, o festival foi organizado por coletivos da comunidade negra.


Comentários:


Outras notícias